…de que meus quatro filhos um dia viverão em uma nação onde não serão julgados pela cor da pele, mas pelo caráter.

57 anos após proferir essas palavras, o sonho de Martin Luther King parece ficção. O racismo nega um direito básico do ser humano: ser um indivíduo. Pensar, sonhar e opinar por si. Condena uma criança, antes mesmo de nascer, a um destino genético. Põe cor na violência, na inferioridade e na submissão. Rejeita que imbecis e gênios circulam em todas as raças. 

Vou citar um brasileiro pobre, neto de escravos, nascido em 1839. Tinha ambições intelectuais. Se em 2020 pobreza e intelectualidade se misturam como água e azeite, que dirá nos anos 1800. Esse jovem pobre investiu numa riqueza silenciosa. No amor, apaixonou-se por uma portuguesa. A família dela se opôs à união. A mulher ignorou. O apaixonado escreveu: Tu pertences ao pequeno número de mulheres que ainda sabem amar, sentir e pensar. Em 1869, um homem querer se casar com uma mulher que PENSA, só podia se chamar Joaquim Maria Machado de Assis. Genial!

Pergunto-me. Como Machado enfrentou o racismo na era escravocrata? Como lutou por seus sonhos intelectuais? Como lidou com medo, insegurança, inveja e desprezo? Em minhas divagações, penso que o autoconhecimento fortaleceu seus sonhos. Devia ser um grande conhecedor de si próprio. Investiu no “conheça-te a ti mesmo” e ignorou os preconceitos que cruzaram seu caminho. Autoconhecimento não evita sofrimento, decepção e ilusão. Autoconhecer-se escolta a autoestima e nos encoraja a sermos fiéis aos nossos sonhos, convicções e valores sem sabotar a realidade. Creia em si, mas não duvide sempre dos outros, escreveu Machado.  

O grande escritor não cursou faculdade. Provou que livros nos alçam a patamares inimagináveis. O crítico Harold Bloom escreveu: Machado de Assis, é uma espécie de milagre, mais uma demonstração da autonomia do gênio literário quanto a fatores como tempo e lugar, política e religião.

Arrogantes, preconceituosos e escravocratas sempre existirão. A união de individualidades que pensam como Martin Luther King formará uma sociedade em que o real não pode ser sonho. Julgar alguém pela cor já devia ser comportamento tiranossáurico. 

Para quem defende o racismo, sugiro dar uma passadinha na Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro. Logo na entrada, o monumento a Machado de Assis, um dos fundadores. Ali, olhando do alto, o maior escritor brasileiro, gênio da narrativa, reverenciado e aclamado em vida, deve observar o coletivo racista e lastimar: quanto tempo consumido na perseguição alheia e desperdiçado da própria vida. A juventude é um relâmpago. Intensa e curta. A vida é breve e finita. Doai-a a ti e ao bem.  

Celina Moraes
Escritora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notice: Undefined index: popup_cookie_smiur in /home/celinamoraes.com.br/public/wp-content/plugins/cardoza-facebook-like-box/cardoza_facebook_like_box.php on line 937 Call Stack: 0.0001 237616 1. {main}() /home/celinamoraes.com.br/public/index.php:0 0.0001 238168 2. require('/home/celinamoraes.com.br/public/wp-blog-header.php') /home/celinamoraes.com.br/public/index.php:17 0.5288 17914880 3. require_once('/home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/template-loader.php') /home/celinamoraes.com.br/public/wp-blog-header.php:19 0.5309 17929888 4. include('/home/celinamoraes.com.br/public/wp-content/themes/betheme/single.php') /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/template-loader.php:106 0.8235 18751048 5. get_footer() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-content/themes/betheme/single.php:74 0.8236 18752160 6. locate_template() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/general-template.php:76 0.8237 18752344 7. load_template() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/template.php:672 0.8237 18765320 8. require_once('/home/celinamoraes.com.br/public/wp-content/themes/betheme/footer.php') /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/template.php:723 0.8647 18775640 9. wp_footer() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-content/themes/betheme/footer.php:173 0.8647 18775688 10. do_action() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/general-template.php:2900 0.8647 18776264 11. WP_Hook->do_action() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/plugin.php:478 0.8647 18776360 12. WP_Hook->apply_filters() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/class-wp-hook.php:311 0.8647 18778328 13. call_user_func_array:{/home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/class-wp-hook.php:287}() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/class-wp-hook.php:287 0.8647 18778704 14. cardoza_fb_like_popup() /home/celinamoraes.com.br/public/wp-includes/class-wp-hook.php:287